Mundo Microsoft Azure: a infraestrutura por trás da Nuvem

Quando falamos sobre Tecnologia em Nuvem sempre vem à mente a seguinte pergunta: “Como será que deve ser um Datacenter para manter tantos serviços e clientes online? ”. Pensando em desmistificar esse ambiente, hoje nós vamos falar alguns detalhes sobre esses “Datacenters” e conhecer mais sobre o funcionamento desse fantástico mundo de infraestrutura.

Fornecer serviços em escala de nuvem requer uma abordagem radicalmente diferente ao design e à operação de datacenters. Quando os aplicativos de software são criados como sistemas distribuídos, cada um dos aspectos do ambiente físico – do design do servidor ao software criado – gera uma oportunidade para estimular a integração dos sistemas para proporcionar maior confiabilidade, capacidade de expansão, eficiência e sustentabilidade.

O profundo conhecimento obtido com a operação em grande escala ajuda a Microsoft a atender às expectativas de desempenho e disponibiliza um portfólio de serviços cada vez maior, além de promover uma maior eficiência em termos de custos.

Esse também é o compromisso da N1 IT:  fornecer todo o apoio necessário aos clientes com o intuito de prover um serviço de qualidade e a garantia de que sua infraestrutura estará segura e disponível sempre que precisar.

Como é o Datacenter do Azure?

A Microsoft tem décadas de experiência na administração de serviços em nuvem, tais como Bing, Office 365, XBOX Live e outlook.com. A plataforma Azure é suportada por uma rede crescente de datacenters gerenciados pela Microsoft.

O Azure está investindo continuamente nas últimas tecnologias de infraestrutura, com um foco em alta disponibilidade, excelência operacional, eficácia dos custos, sustentabilidade ambiental e uma experiência online confiável para clientes e parceiros em todo o mundo, tudo apoiado pelo investimento de US$ 15 bilhões da Microsoft em infraestrutura de datacenter global.

As estruturas de segurança e conformidade da Microsoft e o programa de segurança da infraestrutura de nuvem ajudam os clientes a atender até seus requisitos mais complexos.

Hoje, os clientes podem se beneficiar dos processos de teste e monitoramento altamente focados, da entrega automatizada de patches e dos investimentos contínuos em aperfeiçoamentos de segurança.

A Microsoft entende que para você, nosso cliente corporativo, compreender os benefícios da nuvem, deverá estar disposto a confiar ao seu provedor de nuvem um dos seus ativos mais valiosos: seus dados. Ao investir em um serviço de nuvem, você deve poder confiar que seus dados do cliente estão seguros e que a privacidade dos seus dados está protegida, bem como que você mantém a propriedade e controle sobre seus dados, e que eles somente serão usados em conformidade com suas expectativas.

Também aproveita a experiência de décadas na criação de proteções de software corporativos e na execução de alguns dos maiores serviços online do mundo a fim de criar tecnologias e práticas de segurança robustas. Elas ajudam a garantir que a infraestrutura do Azure seja resistente a ataques, protege o acesso do usuário ao ambiente do Azure e ajuda a manter os dados do cliente seguros por meio de comunicações criptografadas e pelo gerenciamento de ameaças e práticas de atenuação, incluindo testes de penetração regulares.

Presença global

O Azure está disponível em 140 países e dá suporte a 17 idiomas e 24 moedas, mantendo uma presença global para ajudar clientes e parceiros a cumprir sua meta de fornecer aplicativos próximos a sua base de usuários e clientes. Sendo que no último ano (2016) foram acrescidos 7 Datacenters e testes foram feitos com contêineres também no fundo do oceano.

A escolha do Datacenter certo para sua Infraestrutura, não está associada somente ao custo. É necessário levar em conta também a latência na comunicação da sua empresa até o Datacenter escolhido.

Sendo assim, da região central do Brasil, sentido à região Sul, a escolha melhor em se tratando de latência, seja o Datacenter do Brasil que está localizado no estado de São Paulo. Já da Região Central, Nordeste e Norte, a melhor escolha pode ser Datacenters localizados ao Sul dos EUA.

Redundância e recuperação

Os usuários do Azure podem alavancar uma rede global de datacenters para manter a disponibilidade com eficácia nos custos. Duas opções de replicação de dados podem ser habilitadas durante o registro inicial.

Com o LRS (armazenamento com redundância local), os dados são armazenados localmente na região primária dos recursos dos usuários. No modo LRS os dados são replicados três vezes em uma unidade de escala de armazenamento, que é hospedada em um datacenter na região em que você criou a conta de armazenamento. Uma solicitação de gravação retorna com êxito somente depois que tiver sido gravada nas três réplicas. Essas três réplicas residem em domínios de falha e domínios de atualização separados dentro de uma unidade de escala de armazenamento.

O LRS é a opção de custo mais baixo e oferece durabilidade menor em comparação com outras opções. Em caso de desastre no nível de datacenter (incêndio, inundação etc.), as três réplicas podem ser perdidas ou ficar irrecuperáveis. Para reduzir esse risco, o GRS (armazenamento com redundância geográfica) é a opção recomendada para a maioria dos aplicativos.

Com o GRS os dados são armazenados em uma região secundária a mais de 250 milhas da região primária, mas na mesma geografia. Se sua conta de armazenamento tem GRS habilitado, seus dados serão duráveis mesmo no caso de uma interrupção regional completa ou um desastre no qual a região principal não possa ser recuperada.

Para uma conta de armazenamento com GRS habilitado, uma atualização primeiro é confirmada para a região primária, na qual é replicada três vezes. Em seguida, a atualização é replicada de modo assíncrono para a região secundária, onde ela também é replicada três vezes.

Com o GRS, as regiões primária e secundária gerenciam réplicas entre domínios de falha e domínios de atualização separados em uma unidade de escala de armazenamento, conforme descrito com o LRS. Quando você cria uma conta de armazenamento, pode selecionar a região “primária” para a conta. A região secundária é determinada com base na região primária e não pode ser alterada. Além de que cada Datacenter possui o seu Respectivo par de redundância. Ex.: Se os seus dados estiverem alocados no Datacenter Sul do Brasil, com GRS habilitado os dados serão replicados automaticamente para o Datacenter Centro-Sul dos EUA.

Sustentabilidade ambiental

A Microsoft está comprometida a conduzir inovações de tecnologia e software que ajude pessoas e organizações a melhorar o ambiente. O objetivo é reduzir o impacto das operações e produtos, ajudar as empresas a reduzirem o impacto de suas operações e ajudar a conduzir as melhores práticas de sustentabilidade ambiental para o setor. A Microsoft alcançou a Neutralidade de Carbono em 2014 e atingiu a meta de fazer com que todos os novos datacenters tenham uma média de 1,125 de Eficácia no Uso de Energia (PUE), que é um terço menor do que a média de 1,7, que é a PUE de datacenter da indústria.

Quer conhecer mais à fundo? Que tal um Tour Virtual dentro de um Datacenter do Microsoft Azure e conhecer toda a infraestrutura por trás da Nuvem Microsoft?

Daniel Moraes, graduado em Gestão de Tecnologia da Informação, Analista em Projetos na N1 IT, com especialidade em soluções em Nuvem Microsoft. Atua no mercado de tecnologia há mais de 15 anos, em sua maioria na área de infraestrutura e disponibilidade. Profissional Certificado em Microsoft e Symantec, palestrante de webcasts de Microsoft Azure na N1 IT e grande entusiasta de Cloud Computing e como ela pode garantir a continuidade dos negócios.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a Newsletter
Mantenha-se informado com as principais dicas de tecnologia para a sua empresa.